Marcadores: , ,

Machu Picchu

Destinos Internacional Peru
Machu Picchu, também chamada "cidade perdida dos Incas", localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru. Foi construída no século XV, sob as ordens de Pachacuti. O local é, provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca, quer devido à sua original localização e características geológicas, quer devido à sua descoberta tardia em 1911. Apenas cerca de 30% da cidade é de construção original, o restante foi reconstruído. As áreas reconstruídas são facilmente reconhecidas, pelo encaixe entre as pedras. A construção original é formada por pedras maiores, e com encaixes com pouco espaço entre as rochas.

Consta de duas grandes áreas: a agrícola formada principalmente por terraços e recintos de armazenagem de alimentos; e a outra urbana, na qual se destaca a zona sagrada com templos, praças e mausoléus reais.


A disposição dos prédios, a excelência do trabalho e o grande número de terraços para agricultura são impressionantes, destacando a grande capacidade daquela sociedade. No meio das montanhas, os templos, casas e cemitérios estão distribuídos de maneira organizada, abrindo ruas e aproveitando o espaço com escadarias. Segundo a história inca, tudo planejado para a passagem do deus sol.

O lugar foi elevado à categoria de Património mundial da UNESCO, tendo sido alvo de preocupações devido à interação com o turismo por ser um dos pontos históricos mais visitados do Peru.

Há diversas teorias sobre a função de Machu Picchu, e a mais aceita afirma que foi um assentamento construído com o objetivo de supervisionar a economia das regiões conquistadas e com o propósito secreto de refugiar o soberano Inca e seu séquito mais próximo, no caso de ataque.


Localização

Machu Picchu se encontra a 13º 9' 47" de latitude sul e 72º 32' 44" de longitude oeste. Faz parte do distrito de mesmo nome, na província de Urubamba, no Departamento de Cusco, no Peru. A cidade importante mais próxima é Cusco, atual capital regional e antiga capital dos incas, a 130 quilômetros dali.

A 2400 metros de altitude, Machu Picchu está situada no alto de uma montanha, cercada por outras montanhas e circundada pelo rio Urubamba, o que lhe proporciona uma atmosfera única de segurança e beleza


As montanhas Machu Picchu e Huayna Picchu são parte de uma grande formação orográfica conhecida como Batolito de Vilcabamba, na Cordilheira Central dos Andes peruanos. Encontram-se na margem esquerda do chamado Canyon do Urubamba, conhecido antigamente como Quebrada de Picchu. Ao pé dos montes e praticamente rodeando-os, corre o rio Urubamba (Vilcanota). As ruínas incas encontram-se a meio caminho entre os picos das duas montanha, a 450 metros acima do nível do vale e a 2.438 metros acima do nível do mar. A superfície edificada tem aproximadamente 530 metros de comprimento por 200 de largura e contém 172 edifícios em sua área urbana.

As ruínas, propriamente ditas, estão dentro de um território do Sistema Nacional de Áreas Naturais Protegidas pelo Estado (SINANPE), chamado Santuário Histórico de Machu Picchu, que se estende sobre uma superfície de 32 592 hectares, (80 535 acres ou 325,92 km²) da bacia do rio Vilcanota-Urubamba (o Willka mayu ou "rio sagrado" dos incas). O Santuário Histórico protege uma série de espécies biológicas em perigo de extinção e vários estabelecimentos incas, entre os quais Machu Picchu é considerado o principal.

Parque Arqueológico de Raqchi

Segundo a última pesquisa realizada, o aludido parque arqueológico tem uma área de cerca de mil hectares, porque fora da gigantesca muralha Inca que protege o parque, há também algumas construções como aquedutos, túmulos subterrâneos e rencintos da cultura pré-inca. O complexo foi construído em diferentes períodos. Um setor foi construído durante o reinado do Inca Viracocha, como relatado pelo cronista Inca Garcilaso de la Vega. Posteriormente foi construída mais uma etapa entre 1439 e 1471, durante o governo de Pachacutec, e, finalmente, a terceira fase foi construído, de acordo com Cieza de León, pelo Inca Tupac Yupanqui, entre 1471 e 1493.

encabezado

Atrativos

O maior templo Inca

O templo é uma construção única dentro da arquitetura Inca. É um grande galpão retangular é de 92 metros de comprimento por 25 metros de largura, com um enorme muro central de cerca de doze metros de altura. A base do muro, tem até três metros de altura, é finamente esculpidos de pedra, depois é de adobe. O templo teve portas de acessos com vãos de descarga e mantendo-os sobre um telhado de duas águas, que também se apoiava em 11 colunas cilíndricas em ambos os lados e nas paredes laterais do edifício. Apenas uma das de 22 colunas é preservada atualmente. Dos muros laterais só sobrou as fundações, agora visíveis após os trabalhos de escavação da missão espanhola no final dos anos setenta.

Os recintos

Outro setor que se destaca pela qualidade de sua arquitetura, é a sede de cada recinto. Compreende um total de 20 casas que se destacam pelas faturas de seus muros, com seus abundantes nichos trapezoidais, e sua disposição. Doze dessas casas estão alinhadas em pares ao longo de quase 250 metros. Este conjunto de edifícios é implantada em torno de uma série de patios quase quadrados. Um lado está livre, enquanto os outros três são acomodados seis recintos, dois de cada lado.


A estátua

Vários séculos depois da visita de Cieza a Racchi, durante a realização de escavações em Cusco, foi encontrado uma cabeça de pedra e a representeção de um corpo do mesmo material. Manuel Ballesteros e outros especialistas argumentam, com razão, que seriam os restos da estátua de Huiracocha, acabou transferido para Cusco, destruído e enterrado, como parte da política de extirpar a idolatria. A cabeça é mantida agora no Museu de América em Madrid e o corpo no Museu Inka em Cusco.

O Templo Wiracocha

De acordo com relatos de alguns cronistas, aqui o deus Viracocha foi atacado pelos índios canas. Como punição, a divindade fez Chover fogo ", ficando com o incendio como foi observado por Pedro Cieza de León consumidas e gastadas as pedras." Há discordância, no entanto, sob o Inca encarregado em mandar construir esta obra monumental. Cieza diz que Pachacutec ordenou a construção dos " grandes aposentos" que estão em campos, enquanto Garcilaso atribuiu este trabalho para o Inca huiracocha, a quem o deus do mesmo nome teria aparecido em uma ocasião.


As Colcas

Se encontra junta aos recinto e separados deles por pequenas quintas retangulares. Impressionam pelo seu número, entre 120 e 200 de acordo com vários investigadores, bem como a sua disposição dupla fileira que se segue sobre o mesmo eixo do templo. São construções circulares. Algumas destas colcas foram reconstruídas por várias expedições arqueológicas que trabalharam no local, o que dá uma idéia de sua aparência original. O conjunto, apesar de ser o pior preservada em si é impressionante.

O Banho do Inca e Usno

Estas palavras são traduzidas para "onde o macaco sobe". Uma sucessão de assentos, rocha diorítica esculpida com um profundo senso de estética, está na porção oriental do monte.

Parque Arqueológico de Moray

Outro ponto para conhecer um pouco da cultura Inca também partindo de Cusco são os terraços Moray. No caminho, um pouco do modo de vida andino e belas paisagens.
As montanhas transformadas em “arquibancadas gigantes” recebiam, já pelo povo pré-colombiano, plantações de diferentes espécies num experimento ao que se adaptava ao solo local.
Também não tão concorrido, não há necessidade de comprar o ingresso antecipadamente (Custa assim como o Raqchi, S/. 10).

File:Moray - Qechuyoq.JPG

Raqchi e Moray geralmente são inclusos em passeios oferecidos por agências de Cusco, o que claro, não impede que você visite esses locais por conta própria, alugando um taxi por exemplo.


Consultando a disponibilidade de vagas

1 – Acesse o site oficial do governo peruano www.machupicchu.gob.pe para comprar seus ingressos à Machu Picchu.
2 – O site está em espanhol, inglês, português e italiano. Escolha o idioma de sua preferência.
3 – (Em português…) Clique em “Consultas” no menu de navegação superior da página, logo abaixo das fotos de abertura.

4- Logo abaixo do menu de navegação escolha Machu Picchu e o mês que deseja consultar vislumbrando uma visita ao sítio arqueológico.
Um calendário com o número de vagas diárias disponíveis aparecerá. (Do, Lu, Ma, Mi, Ju, Vi, Sab – são as iniciais de domingo, lunes, martes, miércoles, jueves, viernes e sábado, os dias da semana em espanhol)

Se você clicar em “vagas” no menu de navegação na parte inferior da página poderá ver quantas pessoas já se cadastraram em determinado dia para visitar o local.

Reservando

1 – Clique em “reservas” (a primeira opção do menu de navegação) e selecione o que deseja visitar:
- Para fazer a visita tradicional selecione Machu Picchu ou Machu Picchu – Museo (para incluir a visita ao museu) o que sairá por S/. 150 e S/.  152, sem e com museu, respectivamente.


- Se você quer ter aquela vista “cartão postal” que vê todo mundo que já foi à Machu Picchu exibindo, desembolse S/. 152 escolhendo Machu Picchu-Haynapicchu (há um grupo das 7h às 8h e outros das 10h às 11h).
Dizem que o melhor horário é o das 10h, pois às 7h, por ainda ser cedo pode haver neblina. Ambos os grupos podem ser de até 200 pessoas cada.
Haynapicchu é aquela montanha cujas ruínas (Machu Picchu) estão aos pés.

2 – Feita sua opção (atente que a informação sobre se há disponibilidade ou não aparecerá ao lado de “Compre online” dentro de um quadradinho negro), clique logo abaixo de “Quantidade” e insira quantos ingressos você quer comprar.
Clique em “Passo 2” e preencha os campos solicitados com seus dados, incluindo número do passaporte.




3 – No terceiro passo você preenche o campo com seu endereço, lê os termos de compra do(s) bilhete(s) e gera sua reserva clicando em “Gerar reserva”. Os termos trazem o que pode e não pode no sítio arqueológico, amparo legal, informações sobre a compra do ingresso etc; está em espanhol, mas você pode baixá-lo e ler com mais atenção antes de viajar.


Um número de reserva será gerado e um boleto com código de barras (sem linha digitável) também.

Pagamento

Você tem até 6 horas para efetuar o pagamento desta reserva. Passado isso, é impossível fazer o pagamento.
Se você já estiver mochilando pelo país, você consegue pagar o boleto em um banco de La Nación de Perú.
Os endereços das autorizadas em Cusco, Calca e Urubamba (incluindo unidade no povoado de Águas Calientes) estão em: http://www.machupicchu.gob.pe/items/puntosPago.html

Check-in no site

Depois de paga a reserva você deve imprimir seus tickets e digitar o código de reserva no campo “Check-in” (que fica no menu de navegação da página) de www.machupicchu.gob.pe
Se tiver dúvidas pode ligar para os telefones que aparecem na tela: (5184) 58-2030/(5184) 23-6061.
- Para ingressar ao sítio arqueológico você deve levar os tickets impressos e também seu passaporte.


Dica: deixe anotado o número da sua reserva ou ela salva em alguma pasta segura de seu computador ou webmail; assim se você precisar dos dados para uma eventual reimpressão (no caso de perda, furto, roubo) pode fazê-lo acessando o site (nessa mesma tela do “Check-in” ou ligando para os telefones do Call Center)

Fonte: http://mochilabrasil.uol.com.br , http://www.cuscoperu.com

Click Destinos

Viajar é trocar a roupa da alma!

Com um coração cheio de coragem e vontade de conhecer cada cantinho do mundo, o site Click Destinos vem apresentar os melhores destinos. Buscando sempre qualidade e lugares poucos conhecidos a equipe apresenta uma infinidade de destinos a se conhecer.

1 comentários:

  1. Bah, que belas fotos não se consegue num lugar desses. Creio que valha a pena sim o investimento, mas tem que ser nas férias.

    ResponderExcluir

 

"A vida é uma viagem a três estações: ação, experiência e recordação - Júlio Camargo"

  • Não perca os novos destinos

    Inscreva-se para receber a nossa newsletter em sua caixa de entrada , é seguro e fácil!

    Copyright © Click Destinos
    .